domingo, 2 de novembro de 2014

Quer gostem ou não

(Allan S. Ribeiro - Ensaio sobre os conflitos em junho/2014 - https://www.facebook.com/allans.ribeiro.fotografia)

Nada é como o passado imaginou...
Nem os religiosos,
que em sua maioria,
exatamente como antes,
não acreditam em Deus.
Será que foi a alguém assim, incrédulo, que o “Senhor” incumbiu
de despertar o dom da fé?
O nosso mundo é uma feira,
que só tem a venda mentiras,
enganos e alienações.
Este é o futuro do passado!
Triste, não?
Aquele tão esperado
não se deu, 
o que era, mas não foi
por termos tido a sorte ou o revés
de nascer em famílias muito pobres e sobreviver,
ou em ninhos muito ricos e não morrer.
A "razão" é um mistério...
Nestes mundinhos existem muitas formas
de vida e morte.
Mesmo sem ter comida e educação
mesmo tendo sido entregue a todos os descuidos
à inóspita ambição humana, repleta de dogmas moralistas e burocracias,
de leis gerais que não se cumprem,
de receitas perfeitas que após o cadinho se revelam fracassos incontestáveis
sobrevivemos a este mundinho condenado ao pecado da ignorância cega
com cara e publicidade de sabedoria
no qual a maldade nua e crua é mascarada e transformada em salvação.
Lugar sem nenhum bom exemplo de misericórdia.
No qual mundinhos particulares se sustentam com a miséria alheia,
que se mantêm impondo sua própria cruz aos outros,
que exerce o controle através da violência e do medo.
Aqui a liberdade não é o objeto de culto do povo
e muito menos de seus condutores,
a não ser a própria, claro!
Na lei máxima e em seu culto idólatra,
se revela a insensatez de quem governa, sim...
Mas, mais terrivelmente a dos governados
que chamados a sua desumanidade respondem avidamente
estúpidos, que são, seguidores de ladrões, assassinos e moralistas hipócritas
fieis cães de guarda da miséria, do racismo, dos preconceitos de classe
de gênero entre tantos outros
Felizes alienados que se arrogam superiores em decisão.
Falsos rebeldes,
obedientes na manutenção da pobreza alheia,
da concentração de renda
Senhores da hipocrisia
Devoradores de carne e osso.
Velhos reacionários, nazistas e fascistas ranzinzas,
gente grosseira que trata a todos com crueldade
e só conseguem ver o próprio umbigo,
tudo em defesa da sovina, para não distribuir “os alimentos” com igualdade.
Eu digo não aos reacionários,
a esses “revolucionários da vez”.
Tenho escolha e a faço.
Quer gostem ou não!

Nenhum comentário:

Postar um comentário