quinta-feira, 7 de julho de 2016

Partes Mínimas CCXXXVII

Diante das tragédias alheias
Paramos
Saímos de nós mesmos
Observamos por alguns instantes
Ás vezes
Crispam-nos suas dores
Até choramos
Mas o sofrimento nunca é pela tragédia em si
Ou por suas vítimas
Todo o lamento é apenas pelo seu fim
Quando se findam os grandes dramas
Quando as dores que não nos pertecem terminam
Somos obrigados a retornar
Às nossas míseras sofrências cotidianas
E não vemos nada de grandioso nisso
Sete de Julho de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário