terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Suspiros e Mãos

(Visto em: http://pelos-caminhos-de-deus.blogspot.com.br/2014/11/quando-um-filho-segura-na-mao-de-sua.html)

Gosto dos farrapos que precisam ser apanhados do chão
Já encontrei farrapos suntuosos
Mas estavam sujos de (quase) tu(do)
Gosto do que a terra agarra
Só para cair nos braços dela mais adiante
Aproximo-me de papeis velhos
Afundados na lama de chuvências antigas
Termino com as mãos vazias
Sobram objetos úteis e nada mais
Que me causam náuseas
Dos pés a cabeça
Deslizo
Tudo em mim...
Terra...
Te confronta
Incluindo
Suspiros
E mãos

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

A Letra


A tua letra acorda o mundo
Que dorme
E tu observas enquanto nos contorcemos sem cessar
Esta Terra
Sugando a chuva
Que de escassa parece odiá-la
Às vezes
Inunda-a
A mãe que prepara o alimento
Para filhos desnaturalizados
(Trans)Pirando do sol
Irmão que vigia a noite
O tempo todo 
Para Ele
Que é sinal
De que tudo continua
Igual?

sábado, 20 de dezembro de 2014

D(e)vaga(r)

(Edvard Munch - O Grito - 1893 - Óleo sobre tela, têmpera e pastel sobre cartão - National Museum of Art - Oslo)

Entre nós
Toque
Sonho
Transpiração
Nãos...
E nada a dizer
Apenas o sentir
Sinta
Sinto
Sente
O turbilhão
O Grito
A explodir
O gozo
Dessa perfeição
Do tumulto dentro
Dos movimentos
A luz
No corpo
A sombra
No peito
A dor
Na arma
A cura
Nos sins
Guardada no quiçá
Dancemos loucos
Nessa baila de emoções
De ilusões
De ritmos
Desconexos
Caiamos
Sós
Nos nós
Desse entrelaçar de corpos
(Sus)Penso(s)
Em suspiros
O mundo girado
Dizem
E nós
Em nó
Neste chão
Neste vão
Nestes nãos
Nestes sins
Movidos
Desses de(sen)cantos

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Os Que Não Sabem Voar

(Prêmio Deutsch de la Meurthe - Dirigível nº 6 contorna a Torre Eiffel - Santos Dumont - 1901 - 1º vôo dirigido da história)

Presos ao chão
Aferrados por suas consciências materiais
Iludem-se que o principio do voar está nas asas
E nos motores
No entanto a propulsão é a imaginação
Perguntem a Dumont!
Ele dirá que balões, aviões...
Não são instrumentos de vôo
Mas conseqüências de...
De céu só sei o que a natureza me dá
Não do que a ela imponho
Por isso canto contos que me fazem voar

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

In(con)clusos


(As Asas - Gravura em metal - Glaé Macalós - Água Forte/Água Tinta, 34x50cm, 1998/99)

Ultimamente
TenhoDuvidado
Inclusive
DaHumanidadeDosSeres