quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXXIX

Sou uma tola
Acredito no amor
Creio em algumas verdades
E confiei que serias capaz de ser 
O que, tão bem, finges...
Trinta de Novembro

domingo, 29 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXXIV

Ainda consigo 
E posso sorrir
Venço algumas batalhas
Luto bem...
Mas, também, perco muitas...
Posso aprender nas derrotas
Posso adquirir 
Tudo o que me falta
Exceto você
Assim as outras conquistas 
Perdem muito 
Do seu mísero sentido
Vinte e Nove de Novembro

sábado, 28 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXXIII

Não tenho profissão
Não falo outros idiomas
Não entendo de tecnologia
Não tenho dinheiro
Não sei tudo 
Sobre, absolutamente, nada
Vinte e Oito de Novembro

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXXII

Difícil ser feliz
Mas
Ainda danço
Ainda canto
Sem ritmo
Sem compasso
E 'poetizo'
De outro modo
Vinte e Sete de Novembro

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXXI

Dói o fim
Mas não pretendo lágrimas
Nem cobranças
Acreditei
Vi um ‘para sempre’
Quisera 'sempre' fosse
Não tão breve
Vinte e Seis de Novembro

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXX

Não são claros
Os motivos
Que me levam adiante
O momento
Não é de admiração
É de compaixão
Vinte e Cinco de Novembro

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXIX

O (des)amor
A solidão
A saudade
O desespero
A angústia
A ambição
Consomem toda a nossa energia
E alegria
E nos inundam de tristezas
Tudo quanto vivermos 
Parece se resumir em dor
Os seres (des)humanos são crueis
Em tudo que fazem
E são ainda piores
Quando são "bons"
Vinte e Quatro de Novembro

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXVIII

Esta nuvem carregada de dor 
Não impede a eternidade
Dos dias de alegrias
Que nos esperam
Ainda que hoje nos vertamos em prantos
Que nossos rostos se cubram 
Do vexame (des)humano
Ainda que só reconheçamos agora
A força do desamor
Vinte e Três de Novembro

domingo, 22 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXVII

Confirma-no
Cada toque
Cada olhar
Cada sutil sensação negada
Cada gesto perfeito amputado
Ocultado na oscilação forçada
Do nosso desejo (in)contido
Vinte e Dois de Novembro

Guia



(Para iluminar teu caminho)

sábado, 21 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXVI

Renunciei as demonstrações
Mas não posso negar
As custas da minha essência
Experienciada
O que nem a lógica das ciências
É capaz de explicar
A saudade imensa que sinto
Preciso que se lembre de mim
Para continuar a ser e r-e(x)istir
Vinte e Um de Novembro

Guia



(Para iluminar teu caminho)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXIV

O céu não nega o mar
O dia a noite
A planta não nega a raiz
Palavras não podem negam o obvio
Que os gestos denunciam
Dezenove de Novembro

Guia



(Para iluminar teu caminho)

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXII

Não quero choro antes do sono
Não quero temor
Quero sentimento
Quero mesmo quando não
Mesmo quando sei 
Que ganhei e não perdi
Dezessete de Novembro

Guia



(Para iluminar teu caminho)

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCXI

Em toda circunstância
Rir e não chorar
De dor 
De alegria
Compartilhar 
Do que há em mim
E do que há em ti
Desfazer esse nó
Ou corta-lo
Como Alexandre o fez
Dezesseis de Novembro

domingo, 15 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCX

Eu quero te tocar
Com minha timidez
Com minhas mãos...
Com meus pensamentos 
E vontades
O seu desejo...
Com os meus 
Os teus olhos impossíveis
Quinze de Novembro

sábado, 14 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCIX

Sem temer
Sem me esconder
Sem me perder
Em condenações 
Ou culpas
Eu
Você
Quereria
Quatorze de Novembro

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCVII

Tenho pressa
Ou perderei a voz
Ficará cada dia mais impossível
Meu corpo se calará
E minhas mãos se estabilizarão
Sobre outras superfícies
Doze de Novembro


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCVI

Perdi um pouco
Aliás
Muito 
Do meu amor
E da minha fé
Nos meus (des)semelhantes
Que pesar isso me causa
Onze de Novembro

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCV

Nenhum sentimento 
Se fez infinito
Nenhum sentido 
Foi sol nessa história
E nenhuma 
Das suas dores 
Deixou-me
Dez de Novembro

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

sábado, 7 de novembro de 2015

Partes Mínimas CCII

Angustiou-me
Vê-la vestir o manto das convenções
Ao mesmo tempo em que desejou ser amada
Sete de Novembro

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Partes Mínimas CC

Sintomas
Um movimento estranho
No estômago
Um tremor nas mãos
Os pés vacilam
O olhar turva
A respiração se cansa
O oxigênio rarefece
E me sinto disponível à morte
Não é sempre
Apenas quando o tenho
Sob a vista
Cinco de Novembro

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

partes Mínimas CLXLIX

Pergunto-me
Se não te importa
O quanto 
Tudo isso 
Fez-me
Infeliz
E se não te afeta
Que agora ou depois
Eu possa ser feliz
Sem ti...
Quatro de Novembro

terça-feira, 3 de novembro de 2015

domingo, 1 de novembro de 2015

partes Mínimas CLXLVI

O (Quase) Empecilho
O sufocante
Ser do gênero
A rubra vida
Os corpos sãos
Agora 
Sacrifícios pacificados
Oferendas aceitas
Fontes que inspiram
Transpiração que quer sim
Nexo
Sexo
Mãos...
Mas, não só
Primeiro de Novembro

sábado, 31 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXLV

Enlouquece-me
O Delírio
Da cama
Do chão...
O fremir das mãos
À espera 
Do fim do "não"
Do definitivo sim
Trinta e Um de Outubro

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXLIV

As alegrias físicas
O fim das tristezas
A verdade corpórea
O desejo ardendo
Dentro
Fora...
Deixando-nos
Insanas
Nesse instante
Com razão
Trinta de Outubro

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXLIII

Elevamos
Fantasias
Desejos de extravagâncias
Sonhamos somar os eu's
Enfim criar um nó em nós
Ambas
Cúmplices
Em êxtases
Na possibilidade de sermos
Realizadas
Vinte e Nove de Outubro

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXLI

A distância
Que findou
Tu(do)
Agora
Grita
O grito
Dentro do pulso
O som da morte do fim
Vinte e Oito de Outubro

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXL

O tempo fugido
O pensamento longe
A realidade além
O instante breve
Terno
Transcendido
Ora alienado...
A luz invisibilizando escuridão
O universo inteiro
S[C]em (en)cantos
Vinte e Sete de Outubro

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXIX

Vestem-me
As proezas de mãos intensas
Dilacerando sedas
Vozes sôfregas
Estimulando corpos (s)em ritmo
Poros cúmplices
Sangrando vida
Esquecidos do passado...
Vinte e Seis de Outubro

domingo, 25 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXVIII

Aprendo com a solidão
Com os silêncios d’alma
Com o devanear...
Não intento mais comungar
Corpos e realidades
Vinte e Cinco de Outubro

sábado, 24 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXVII

De céu só sei o que a natureza me dá
Não do que a ela imponho
Por isso só canto contos que me fazem voar
Vinte e Quatro de Outubro

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXVI

A história
O amigo
O inimigo
O esconderijo
O caminho
Diante de olhos
Decididos e aterrorizados

Vinte e Três de Outubro

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXV

Começou
A fazer exigências
E a dar ordens
Assim 
Logo de início
Criou uma grande confusão

Vinte e Dois de Outubro

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXIV

Eu sou ainda uma criança
Não sei superar os traumas
E todas as dúvidas que pairam
As eternas incertezas me torturaram
Resolvi investigar
A maneira misteriosa
Dos processos que me cercam
Para ver se encontro 
Num pouco de tormenta alheia
A infinita paz que me procura

Vinte e Um de Outubro

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXIII

O universo conspirava
A nosso favor
Mas, você não pôs fim
As minhas noites de insônia
Olhou-me, profundamente
E pediu-me eterno sacrifício
Eu respondi que sim
E você se foi

Vinte de Outubro

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXI

Sou (quase) rebelde
A obediência
Não é parte dos meus objetivos
Mas, a suporto
Sempre fui e serei
De carne e osso
De muitas contradições
De dizer não, sem pestanejar
E sim, sem medo, quando o quero
Sempre acreditei que não existe problema sem solução
E posso voltar atrás quando necessário

Dezenove de Outubro

domingo, 18 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXXII

Ficou longe muito tempo
Tempo demais
Senti-me só
Guardei a mim e a ti dentro
Vou viver a vida que me resta
Nada convencional
Nada que possa ser para sempre
Porque eu ainda te espero

Dezoito de Outubro

sábado, 17 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXX

Tive o revés de nascer muito pobre
A luta foi pela sobrevivência
Para ter comida e educação
Segui dogmas, não fielmente
Doutrinei-me no caminho
Que nos sustenta junto ao Cristo
Na cruz, culto (quase) idólatra
Que se revelou a minha
A nossa insensata estupidez
Todo não-sagrado que endossamos


Dezessete de Outubro

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXIX

As Sombras se movimentam
Tenho pesadelos
Sobre pessoas e histórias
Não sonho desde os treze anos

Dezesseis de Outubro

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXVIII

Ouvi barulhos
Busquei...
Mas, não encontrei nada!
Senti medo
Esta minha velha casa
Mas, a deixarei...
Não escapava de seus (en)cantos a tempos
No entanto não há mais nada para se fazer aqui
Fiquei em silêncio, esperei...
Dispus-me a observar seus cômodos familiares
Até amanhecer de novo
Agora o arrebol anuncia um belíssimo dia
Dia de partir e de deixar vir
O momento certo enfim
Quinze de Outubro

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXVII

Tudo seria mais fácil
Se eu fosse morrer amanhã
O problema
É que posso sobreviver
A tudo isso

Quatorze de Outubro

terça-feira, 13 de outubro de 2015

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXV

Enquanto eu olhava
O curso do rio
À margem
Alguém olhou
E percebeu-me
Ao encantar-se
Encantou-me
E tornou tudo
Menos deserto

Doze de Outubro

domingo, 11 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXIV

Não há tolerância que baste
Para suportar
Quem só fala em respeito
Mas, não o põe em prática

Onze de Outubro

sábado, 10 de outubro de 2015

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXII

Reconheço a textura da tua pele
O teu perfume e espírito em mim
Tuas diferentes nuanças
As mudanças em tua aparência
O passar dos teus anos
O conheci antes mesmo de ver-te
Foi o primeiro e o único amor
Do qual permanece cada sensação
O seu não-toque que me fez mulher
Muito depois de eu o ser
Não quero outras mãos em mim
Que importa os julgamentos e as sentenças
O resto do mundo desaparece em ti

Nove de Outubro

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXXI

Concordo com Claude Monet
Não é possível
Que eu esteja a ver
O nada

Oito de Outubro

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXIX

Você é como o rio
Que banha minha terra
Bravio e turvo
Impossível
Irresistível
Mergulhar em ti 
Nele

Seis de Outubro

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXVIII

Seguindo-te
Retendo-as em mim
Secas e Frias
Molhadas e quentes
Seguro a tua primavera nos meus olhos e mãos
Mantenho o teu calor nos meus poros
Nas minhas partes mínimas e íntimas
Para conter a tua frieza num canto secreto da minh'alma
E assim poder sentir o teu gosto outonal 
Com o auxílio da língua 
Em minha boca 
Entre dentes

Cinco de Outubro

domingo, 4 de outubro de 2015

sábado, 3 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXVI

Resta-me considerar
As possibilidades
O desgaste que elas nos causaram
E compreender a razão
Do porquê dos (res)sentimentos
Serem tratados como dinheiro
Descartáveis
E de o desejar ser aparentemente
Absurdo
Porque novos momentos surgem

Três de Outubro

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXV

Somos dois elementos
Que se constituem
Ao mesmo tempo
Sedentos da mesma fonte
Não contemos outros
Estamos conscientes demais de nós
De que somos inapropriadas

Dois de Outubro

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Partes Mínimas CLXIV

O dia de hoje
Tem um caráter de resto
Se afigura como um
Dispêndio afetivo
Que não pode ser efetivo

Primeiro de Outubro

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Partes Mínimas CLXIII

Azul, ocre, telha
Cinza, verde
Amarelo, madeira
Rosa, branco, preto
Vermelho, púrpura
Dourado, papelão
É o que e como vejo o hoje

Trinta de Setembro

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Partes Mínimas CLXII

O que não tem jeito
Já está decidido
Não percamos mais tempo
Com o que não mais nos é 
Pertencido

Vinte e Nove de Setembro

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Partes Mínimas CLXI

A única paz possível
Agora
Seria a da morte
A permanente condição
É a minha máxima sugerida
Ainda que 
Não me sinta no direito
Ainda que
A prática da revogação
Não me seja permitida

Vinte e Oito de Setembro

domingo, 27 de setembro de 2015

Partes Mínimas CLX

Fui obrigada 
A lavrar a honra
A obstinar-me
Com os limites
Ocultados na oração
E no íntimo conflito
A silenciar a palavra
Silenciada uma vez mais
A contemplar uma pauta
Que não me satisfaz

Vinte e Sete de Setembro

sábado, 26 de setembro de 2015

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Partes Mínimas CLVIII

A liberdade me condenou
Minha vida não santa
Agrilhoou-me
Marcou-me com seus ferrões
Atuou sobre a miséria
Do meu corpo
E através da moça branca
O Anjo Azul
Tão tolo...
Moeu meu coração
E (quase) me matou

Vinte e Cinco de Setembro