segunda-feira, 30 de março de 2015

(RE)n(EGO)

(Patrícia Aragón - Releitura fotográfica do Narciso de Caravaggio - visto em: https://www.flickr.com/photos/sadyfotografia/5632931341/)

A esperança na encruzilhada
Apega-se a fervura negada
Foge da vontade
Pede independência
Lamenta a não ação

A derrota é a lei do chão
Onde caí
Implorando que a leitura feita
Não terminasse assim

quinta-feira, 26 de março de 2015

Modelos?

Estamos em crise de excesso
Não nos faltam paradigmas:
Da verdade
Da razão
Do belo
Do eterno
Da religião
Do ser ou não ser
Do eis a questão

domingo, 22 de março de 2015

Os Voláteis

Não esquece
Nem se lembra
Mesmo sabendo 
Ignora
Não importa
O tempo 
Todos os dias
O azul
O vermelho
Terrivelmente púrpura 
Imersos na indiferença
Ou covardia
Desbota
Desencanta
Muda de cor
(Des)cora

sábado, 21 de março de 2015

Desperta


(Photo Manipulation Creativity, em: smokingdesigners.com)
Despertei
Enfim
E percebi
Todos se foram
Fiquei com sonhos inúteis
Com os meus amores vãos
Tu(do) é calma agora
Saciada de des(prazeres)
Espalhada
Em pedaços
Coláveis
Mas não isentos
Do que se foi
Ou não foi
Lavrada
Camada por camada
Desci
Degrau-a-degrau
Estou a descoberto
Na rua
Sinto-me pequena
Resumida
Porém localizada
Sei de mim
Dos meus centros
Das minhas periferias
Dos meus espaços organizados e tranquilos
Dos meus tempos tempestuosos
Sou, na maior parte, o que sempre fui
Contudo descobri lugares novos aqui
Pude me observar
De um ângulo novo
Conclui pequenas tarefas
Percebi-me inacabada mesmo assim
Visitei meu desconhecido
Tive esperança de poder me reinventar dali
De encontrar meu mapa
De me dar um rumo
De elaborar a mensagem exata
E facultar a mim
O resultado de todo este processo
De justificar meus vazios
Minhas ausências
Meus casos eternos
Minhas muitas idas e voltas
De compreender o porquê das falhas
De curar as frustrações
Visitei-me
Li meus pensamentos
E tentei ler os teus
Mas, os codificou com mistérios
E recusas
E medos
E dúvidas
Rasgou meu céu
E descobri que não há inferno longe
Que há inferno último
Que surtamos com olhares profundos
Gozamos com vistas de soslaio
E morremos sem sermos vistos...

segunda-feira, 16 de março de 2015

A(h...) Chuva

Não está muito frio
Mas, chove muito lá fora
E aqui dentro
Despeço-me dizendo
Que visitarei os lugares
Fotografarei
E levarei uma parte de tudo para lhe dar
Desejei-lhe bons dias
Despedi-me com beijos
Pretendendo o silêncio pra semana
Salientei que meus beijos eram maiúsculos
E que meus dois pés na senzala
Justificavam meu pavor de diminutivos
"Ainda que os tenha jurado como expressão de carinho"
Disso não me sinto convencida... Ainda...
Falou das chuvas que caíram
Enquanto me ausentei
Do calor sem trégua
Da falta que fazia minha "bela e macia juba"
Sabendo que falta mesmo
Sentia eu das tuas "mãos desertas de toques"
Nos meus anelos...

sexta-feira, 13 de março de 2015

Cercas (In)Visíveis

(Ovo Fabergé - Antiquário Wartski - Inglaterra)

Sempre escravos
Da miséria à ganância
Da senzala ao manicômio
Do castigo ao crime
Do disciplinamento à domesticação

quarta-feira, 11 de março de 2015

(Quase) Ser(tão)

(O Sertão Vai Virar Mar - visto em: antonioconselheiro.tumblr.com)

Seus passos demoram
Devora-me o precipício
E o fogo da boca do dragão
Que(i)maria 
Consumindo 
Mata(ria) a seca
Desse (quase) ser(tão)
Que sou


sábado, 7 de março de 2015

Mensagens...

(Álvaro de Campos)
Envio-lhe mensagens
Que tem muito mais a dizer
Do que aquilo que lhe é dito
Chamo-a menina...
Isso se justifica
Ela nega e duvida do óbvio
Quando a questiono
Ela acusa sua própria natureza
E, simplesmente, muda de assunto
Como se não tivesse me colocado em questão
Pergunta sobre o frio europeu
Conta sobre suas decepções
Que se tornam minhas também
Respondo que o frio lá...
Em outubro
É, ainda, brasileiro
Brinco
Que seu jeito alemão
É muito inglês
Mas critico a polidez
E discrição exagerada de ambos

sexta-feira, 6 de março de 2015

(Des)Humano

( Gunther von Hagens - Plastinação Humana - Visto em 06/03/15: http://galerialagiocondabrasil.blogspot.com.br/2012_04_13_archive.html)

Eu desejo que aprenda a ser
Com os melhores exemplos
Independentemente do gênero
Desejo que não imite os patos...
Que sua virilidade seja revigorada cada dia
Mas que ela não seja sua única virtude e interesse
E que não sustente seus preconceitos
Espero ainda que não a use para ferir
Agindo de modo, desrespeitoso, promiscuo e volúvel
Faço votos que ganhe muito dinheiro
E tenha o luxo que te alegra
Mas...
Também  que não tenha um tostão sequer para esnobar os outros
Que suas dúvidas sejam todas sanadas
E que sempre sujam outras, milhões de outras...
Pois está escrito que o pecado consiste nelas
Que o seu coração
Seu caráter
Sejam tão bons quanto...
Ou, é recomendável, melhor que...
O sexo que você faz
E que o orgulho e o egoísmo não impeçam a tua...
Nem atrapalhem a minha... Felicidade!