domingo, 9 de agosto de 2015

Lacuna Incurável

Seria hoje seu dia...
Se você existisse além das nossas lembranças
Se você fosse bom
Forte... Invencível
Enfim perfeito
Tanto quanto nossa inocência infantil confiava ser
Não pôde nos ensinar mais que algumas letras
Por isso nossa versão do mundo e das pessoas
Nossas histórias
Sofrem de lacuna incurável
Pouco permaneceu conosco
Não foi o porta-voz de D’us junto a nós
Faltou tempo para que fosse nosso exemplo de homem
Talvez eu deva à tua falta o meu dedo podre
Não permitiram que fosse o conselheiro...
Ao qual recorreríamos nos momentos de dúvida
O protetor nas horas de desespero
Não estava presente para nos orientar
Nas decisões importantes
Nas escolhas difíceis
Tampouco para nos encorajar nos momentos de medo
Porém tua ausência incentivou a covardia de muitos
Contra nós... Que te perdemos...
Não se fingiu de morto
Tua vida foi arrancada
Por dinheiro... Sem punição
Mas nunca nos ausentamos de ti
Apesar de não ter ressuscitado ao terceiro dia
Sempre lhe teremos amor
Mesmo você não sendo um filho santo
Nem tendo podido escapar da morte e seu encanto
Pai